Domingo, 17 de março de 2002.

  Revolta

Por Vicente

Escrevo aqui para registrar a minha revolta com alguns assuntos abordados pela maioria das pessoas quando o tema é "sair do armário" (um termo horrível, por sinal).

Pra começar, se a homossexualidade não for muito bem definida para você próprio, como esperar que os outros aceitem numa boa? Está todo mundo cheio de clichês e estereótipos sobre isso, mas acima de tudo, nós mesmos temos que encarar tudo com uma naturalidade a mais.

Para que se importar com o que vão dizer de nós? É essa preocupação que agrava mais ainda o preconceito, por que justamente quem passa este conceito preestabelecido e muito errado somos, em grande parte, nós, os próprios homo ou bissexuais.

Passei por sérios problemas na escola, e em minha própria casa, por não ter me expressado direito. Pra que tanto mistério quanto ao que você é, ou ao que você acha extremamente normal? Se eu simplesmente tivesse falado "eu sou bissexual, e não me importa o que você disser, eu vou continuar sendo o mesmo, porque estou muito bem assim", tudo teria corrido mais tranqüilamente. Eu sei, é uma coisa que não se sai falando pra Deus e o mundo, porque afinal de contas, tá tudo muito sujo, e não podemos limpar tudo sozinhos, mas as vezes, uma simples opinião coerente e a favor do assunto muda muitas cabeças "contaminadas"...

Algumas coisas estão sendo feitas a mídia, mas nada em perfeição, porque sempre as pessoas encaram, mesmo sendo a favor, como uma coisa diferente do convencional. NÃO É DIFERENTE DO CONVENCIONAL!!!!! Pelo amor de Deus, é isso que agrava tudo... há anos a homossexualidade existe no mundo e está nos olhos de todos, mas por ser na mídia, com representantes hilários ou com certo poder, ainda estão longe do mundo real... o objetivo final é chegarmos ao ponto de andar nas ruas de mãos dadas (o que não é querer muito, certo?), mas para isso, é preciso trabalho no plano real das coisas, e não numa nuvem cor-de-rosa, onde a qualquer momento pode-se pegar o controle remoto e mudar de canal... para isso, não podemos mudar o canal, não podemos desplugar.

Na minha última aula de química, na semana passada, meu professor, homossexual assumido, ouviu de um grupo de garotos idiotas (típicos do colegial) umas brincadeiras nas quais eles colocavam como motivo de chacota um aluno do segundo ano, dizendo dele coisas como "bicha de merda, viadinho ou coisas do tipo". Infelizmente já passei por isso e sei como não é nada legal. Chegando na minha sala, suspendeu a aula para abrir um debate sobre o assunto, onde tudo foi colocado em pauta com muita seriedade (pelo menos por ele). Palavras como "se você se incomoda tanto com a homossexualidade alheia, é porque talvez você se identifique com ela de alguma maneira, e isso te causa medo" ou então "a sexualidade é um entre milhares de atributos e características que constróem um ser humano. Por que deixar que ela sozinha faça você gostar ou desgostar de uma pessoa, e, pior ainda, desrespeitar?" mudaram muito a cabeça dos vinte estudantes que compunham o debate, e não deu outra: durante o fim de semana, um garoto que estuda comigo abriu o jogo com o pessoal, se dizendo homossexual.

Repito: uma opinião a favor, usando termos coerentes e objetivos, vale mais do que simplesmente "sair do armário", talvez te ajude na hora de contar pra alguém, e se você mesmo achar muito diferente ser homossexual a ponto de achar uma anomalia, meu filho... vá se tratar!!! ABAIXO AS CERIMÔNIAS QUANDO SE FALAR SOBRE GAYS, LÉSBICAS E ETC!!!

Pensem nisso...
Vicente
 

"É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito." Albert Einstein

Artigos nesta seção

Você está lendo:

Revolta
Escrevo aqui para registrar a minha revolta com alguns assuntos abordados pela maioria das pessoas...


Leia também:

Na Real
Escrever uma história sobre como é ser um homossexual é quase tão complicado quanto contar para a...


Meus fantasmas
As estações de metrô pareciam intermináveis. Caramba, ainda estou na Sé, tenho ainda muitas...


© Copyright 2002 XTEENS
Todos os direitos reservados